2008. szeptember 25., csütörtök

Dárdai Zsuzsa kiállítása Fortalézában (Br)

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA - MAC

http://www.dragaodomar.org.br/index.php


O MAC apresenta exposições e eventos de arte experimental, exibindo obras dos mais representativos artistas contemporâneos brasileiros e internacionais. Além das exposições, o museu realiza palestras e publicações que visam incentivar a produção e difundir a arte contemporânea.
Projeto @
O Projeto visa mostrar exposições onde o avanço tecnológico do terceiro milênio permite que sejam transportadas imagens via e-mail sem perda da qualidade técnica, estética ou conceitual.
Em cartaz:
Zsuzsa Dárdai (Em cartaz até 26 de outubro)
Artista húngara apresenta imagens digitais que mostram paradoxos entre a arte e as ciências naturais.

A artista húngara, Zsuzsa Dárdai expõe “Vida na não-vida - paradoxos na relação entre artes e ciências naturais”, no MAC
O projeto Sala Experimental, do Museu de Arte Contemporânea, no Dragão do Mar, mostra o avanço tecnológico desses tempos e um estudo da relação entre arte e natureza, por meio da arte de Zsuzsa Dárdai. A mostra “Vida na não-vida - paradoxos na relação entre artes e ciências naturais”, fica em cartaz no MAC, de 21 de setembro a 26 de outubro
Há aproximadamente oito anos Zsuzsa Dárdai estuda a sincronia entre imagens naturais e artificiais (sinais e fenômenos visuais), projetando a admiração abstrata da criação através das mídias eletrônicas. Tudo começou quando se deparou com cristais de dendrito - espécie de fóssil vegetal que cresce da mesma maneira que as plantas. Ali nasceu o interesse pelos mistérios da natureza e a vontade de relacioná-los com o universo artístico.
“Onde está a fronteira entre as formas vivas e as formas não-vivas da realidade natural?” Movida por esse e outros questionamentos a artista se empenha em pesquisas e constrói a sua arte em uma ponte que liga os encantos da natureza às possibilidades da criação. Assim, a observação e o estudo são sucedidos pela fotografia e pela manipulação digital - numa relação respeitosa entre artista e objeto observado. “Durante a manipulação digital das formas desses pedaços de pedra, tive bastante cuidado para não prejudicar, com minha atividade artística, a criativa e genial originalidade dos mesmos”, explica Dárdai.
A inspiração das obras surge das mais inusitadas manifestações da natureza. A vida curta que resta às cigarras após sua metamorfose ou as formas peculiares ( parecidas com árvores e outras plantas) que surgem nas rochas devido a solidificação de óxidos de ferro ou manganês. A exposição reúne 24 fotografias manipuladas, todas enviadas por e-mail (sem perda de qualidade técnica, estética ou conceitual).

1 megjegyzés:

Mariana írta...

Eu fui a uma exposição dum artista de impressão com minha mãe que exibia umas obras muito legais, mas não pude comprar nada essa vez.
Estou esperando a próxima!